A Iniciação Martinista

“A única iniciação que prego e que procuro com todo o ardor de minha alma é aquela que nos permite entrar no coração de Deus e fazer entrar o coração de Deus em nós, para aí fazer um casamento indissolúvel, transformando-nos no amigo, irmão e esposa do Divino Reparador. Não existe outro mistério para chegar-se a essa santa iniciação a não ser este: penetrar cada vez mais nas profundezas de nosso ser até aflorar a viva e vivificante raiz; porque, então, todos os frutos que devemos portar, segundo nossa espécie, irão se produzir naturalmente em nós e fora de nós, como aqueles que vemos nascer em nossas árvores terrestres, porque são aderentes à sua raiz particular e porque não cessam de sugar seu sumo.”

Estas inspiradas palavras de Saint-Martin bastam para explicar a que espécie de Iniciação pretende conduzir o Martinismo.

O próprio Saint-Martin, avesso ao formalismo dos ritos, pregava uma única Iniciação, transmitida de Iniciador a Iniciado e confiada à graça divina. Tratava-se de uma Iniciação Livre, e quem a recebia poderia se tornar, por sua vez, também um Iniciador.

No final do século XIX, por influência da Ordem Kabbalística da Rosa-Cruz, o Supremo Conselho da Ordem Martinista fragmentou essa mesma Iniciação em graus de estilo maçônico para melhor preservá-la e transmiti-la, sem prejuízo ao pensamento de Saint-Martin.

A OMB adota os graus martinistas tradicionais, que, obedecendo à tradição, só podem ser transmitidos pessoalmente, na presença e por intermédio de legitímo(a) Iniciador(a).


GRAUS DA ORDEM MARTINISTA

1º - Associado: É, efetivamente, o primeiro grau, conferido com a Iniciação formal, pessoal, ritualística e esotérica. Nessa ocasião passa a fazer parte, de forma incontestável, da Ordem Martinista. É-lhe conferida a energia espiritual, que lhe permitirá fazer os rituais e práticas da Ordem. Neste grau o buscador já faz parte de uma linhagem tradicional e iniciática de uma Ordem séria e benfazeja. Ele deverá ficar nesse grau por no mínimo dois anos.

2º - Iniciado: É o segundo grau da Ordem. Iniciado, pois este grau lhe confere a Iniciação, transmitida há séculos. Não é mais um ritual de ligação a uma Ordem, mas a todas as Ordens, que de alguma maneira, congregam o ideal da Iniciação. Neste estágio o mundo sutil irá conhecer uma nova estrela que nasce. Seu brilho irá aumentar cada dia mais, pois já não reflete a Luz, mas irradia a sua própria. Tempo nesse grau de no mínimo três anos.

3º - Superior Incógnito: É o terceiro grau da Ordem. Nesse grau o buscador já se encontra calmo e seguro. O desejo de procurar, inato a ele, já se apascentou. Está cônscio de seu lugar no mundo e sabe o caminho que está trilhando. Sabe que é superior aos demais seres, pois a Centelha Divina, dinamizada pelo poder da Iniciação Real, já se manifesta, mas permanece incógnito, praticando uma das maiores virtudes humanas, que é a humildade, sendo, dessa forma, amável e doce, mas ao mesmo tempo firme. A honra é a sua principal característica. Tempo mínimo de três anos neste grau.

4º - Superior Incógnito Iniciador: É o quarto grau da Ordem. Nesse grau já não se fala mais em buscador, pois já se encontrou no caminho iniciado pelo aspirantado. Pode-se, agora, após muito estudo e dedicação, devotando-se ao conhecimento das ciências supranaturais, à meditação, à ritualística, à rememoração constante dos Nomes e Atributos Divinos, às práticas místicas e mágicas, dedicar-se à Teurgia, onde, após ter uma base sólida em sua alma, prescrutar o mundo inteligível e da formação (Yetzirah), pois já saiu do mundo da manifestação (Asiah).