A FRATERNIDADE DA LUZ

Em 9 de setembro de 2003, o Bispo e Grão-Mestre LEWIS S. KEIZER, da Casa do Templo e Templo do Santo Graal, com sede em Aromas, Califórnia, Estados Unidos da América do Norte, concedeu uma CARTA PATENTE à FRATRES LUCIS, em custódia do Cancellarius I Fratres Lucis FIDUCIUS e colegas, para operar como uma organização independente dos verdadeiros e históricos Fratres Lucis.

Esta Carta Patente foi emitida pelo Grão-Mestre Lewis S. Keizer, em virtude de uma Carta de Autoridade recebida em 13 de setembro de 1992, pelo Mui Reverendo Conde GEORGE BOYER, Grande Arconte e único membro sobrevivente do Conselho dos Três da IRMANDADE E ORDEM DO PLEROMA e da IRMANDADE HERMÉTICA DA LUZ, antigamente conhecida como a IRMANDADE E ORDEN DOS ILLUMINATI OU FRATRES LUCIS, com todos os poderes para implementar, mudar, emendar, ou acrescentar estes e demais corpos incluídos.

Essa Ordem foi chamada de ORDO FRATRES LUCIS.

Tendo sido afastado por “venda” de iniciações do cargo que LEWIS STEWART KEISER ocupava até então, essa Carta Patente ficou “duvidosa” por vários anos.

Em 1º de julho de 2012, o inglês MICHAEL NORMAN BUCKLEY, Grande Arconte Mundial dos Antigos Fratres Lucis, concede uma nova Carta Patente, através do encontro que teve com o Fratres Lucis Cancellarius CORUJA DO NORTE, transmitindo-lhe os graus da Antiga Tradição dos Fratres Lucis e nomeando-o como 1º Arconte Nacional para o Grande Capítulo Nacional da América Latina, autorizando a abrir os Capítulos e trabalhar com a Tradição dos Antigos Fratres Lucis.

Essa mesma Carta Patente reconhece a ORDO FRATRES LUCIS com toda a sua estrutura administrativa intacta, tornando-a uma Ordem Externa dos Antigos Fratres Lucis.

Em virtude da dissimulação e de medo de perder a sua autoridade, o Fratres Lucis Cancellarius Zurcan começa a fazer intrigas entre os Cancellarius, ocultando-a dos outros Cancellarius e, depois de o Fratres Lucis Cancellarius CORUJA DO NORTE propor aos demais o reconhecimento da Carta Patente, estes a negaram, pois o Fratres Lucis Cancellarius ZURCAN havia dito aos demais que essa Carta Patente era “autoritária” e que não se submeteriam a autoridade de um “Arconte”.

Diante dessa dissimulação e depois de várias tentativas de expor o verdadeiro valor da Carta Patente, o seu reconhecimento foi negado. O Fratres Lucis CORUJA DO NORTE deixa o cargo de Cancellarius para dedicar-se à Tradição dos Antigos Fratres Lucis.

Em virtude disso, vários Fratres e Sorores Lucis e várias Lojas solicitam ao Fratres Lucis CORUJA DO NORTE a continuação dos trabalhos sem ligações com o Fratres Lucis Cancellarius ZURCAN, que também já tinha causado vários problemas em várias lojas e entre vários irmãos.

Diante da permanente recusa dos Cancellarius e com a autorização dada pela Carta Patente, tendo o Fratres Lucis Fiducius autorizado o uso do material da ORDO FRATRES LUCIS nos Capítulos dos Fratres Lucis (Tradição Antiga) e tendo ele mesmo se retirado da Ordem, é constituída então, com uma estrutura hierárquica dos Fratres Lucis Antigos, mas com os rituais da Ordo Fratres Lucis, é criada a FRATERNIDADE DA LUZ.